• Mayra Dias

Plantas companheiras: como cultivá-las para trazer equilíbrio e harmonia para o jardim e horta.



Ao sairmos para uma breve caminhada em ambientes naturais, onde a influência humana não é determinante na organização da vida, percebemos que inúmeras espécies compartilham o mesmo espaço, cada qual com suas diferentes necessidades de nutrição, luz solar, água e ar.



Todas convivem com saúde e se desenvolvem plenamente em apoio mútuo. Essa é uma das maravilhas proporcionada pela diversidade.





Ao planejar o jardim é fundamental considerarmos as interações que ocorrem entre os seres vegetais. Estes assim como nós, não vivem isoladamente, estão em constante comunicação.


Com as plantas esse processo ocorre por meio de interações bioquímicas que podem gerar apoio mútuo, ou desfavorecer o desenvolvimento das outras plantas do mesmo sistema. As plantas que favorecem umas as outras são chamadas PLANTAS COMPANHEIRAS, algumas são poderosíssimas aliadas e podem apoiar as dinâmicas do jardim como um todo.


Entre os benefícios de cultivar seu jardim ou horta com plantas companheiras estão:


- Favorecer o desenvolvimento de outras plantas com interações bioquímicas;


- Atrair insetos e outros tipos de polinizadores;


- Hospedar bactérias que fixam nitrogênio no solo quando são leguminosas;


- Oferecer sombra quando necessário;


- Estruturar o solo com a matéria orgânica ofertada;


- Embelezar e enriquecer o jardim-horta com cores, texturas e aromas;


- Ofertar matéria orgânica e produzir biomassa;


- Algumas espécies também produzem deliciosas flores comestíveis que irão incrementar suas receitas.


São inúmeros os fatores a serem considerados na escolha das plantas que irão conviver no mesmo espaço, seja vaso ou canteiro. Inicialmente devemos observar, pesquisar e respeitar as exigências de cada planta, entre elas:


NUTRIÇÃO - Ao compor o seu consórcio é interessante escolher plantas que possuem diferentes necessidades nutricionais, você poderá em um único canteiro cultivar hortaliças com folhas para saladas, flores, raízes e frutos, esta prática contribui para que não haja um esgotamento dos nutrientes do solo;


TIPO DE SOLO - Procure colocar juntas plantas que apesar de terem necessidades nutricionais diferentes têm preferência pela mesma estrutura de solo. Por exemplo, se você tem um canteiro com um tipo de solo que retêm muita umidade não será legal colocar no seu consórcio plantas que preferem um solo mais drenado.


LUMINOSIDADE - Ao planejar um plantio de plantas companheiras se você conhece a necessidade de luz que cada espécie necessita poderá criar essas condições usando o próprio porte das plantas selecionadas. Pode escolher cultivar uma planta arbustiva que precisa receber luz direta e aproveitar a sombra formada por ela para cultivar uma espécie que gostaria de receber uma luz indireta;


NECESSIDADE DE ÁGUA - Colocar plantas que precisam de pouca água com plantas que tem preferência por um solo constantemente úmido não vai dar certo, algumas sofreriam com a situação, provavelmente seriam as que preferem menor quantidade de água, fazer uma combinação de plantas que possuem necessidade de água semelhante vai facilitar a rega sem prejudicar nenhuma planta;


FORMA, PORTE E FUNÇÃO – É importante você descobrir como se desenvolve a planta que você escolheu e qual o espaço que ela vai precisar quando estiver adulta. Combiná-las de acordo com a forma, porte e função vai garantir um belo e saudável canteiro quando suas plantas estiverem adultas.


Dê preferência para posicionar na face norte de seu canteiro plantas de porte maior, por exemplo, os arbustos, os tomates, as ervilhas, os milhos e etc. E as plantas de porte pequeno posicione na face sul do canteiro, pois assim as maiores não farão sombra para as menores.


Algumas plantas companheiras são tão generosas que são consideradas aliadas poderosíssimas para quase todas as situações, pois além dos inúmeros benefícios que já citamos, elas vão favorecer a produção de frutos atraindo com suas flores e seus aromas os insetos polinizadores como as abelhas e as borboletas. Entre elas podemos citar:


TAGETES - Tagetes erecta

A Tagetes, planta ornamental também conhecida como Cravo-de-defunto, é um exemplo de espécie muito usada para combater os nematóides (vermes, a maioria invisível a olho nu que atacam as raízes das plantas) nos solos dos jardins e das hortas, protegendo as plantas companheiras ao seu redor.



Características

• Deve ser cultivada a pleno sol;

• É uma planta muito rústica resistindo bem a diversos climas;

• Espécie que produz muitas flores e se reproduz por sementes;

• São encontrados cultivares que atingem diferentes alturas desde 20 cm até 80 cm.


MANJERICÃO - Ocimum basilicum

Cultivado há mais de 5.000 anos, existem centenas de cultivares do Manjericão. Quem não se delicia com o aroma de um pé de Manjericão no jardim?! Muito popular o Manjericão é adorado na culinária, mas também pode ser utilizado em chás e infusões por suas propriedades medicinais e amplamente restaurativas.



Características

• Deve ser cultivado a pleno sol com solo rico em matéria orgânica;

• Forma lindos arbustos, cheios de flores, que crescem até 80 cm de altura em média;

• Os manjericões atraem insetos polinizadores, entre eles as abelhas!


CAPUCHINHA - Tropaeolum majus

A Capuchinha é uma planta rasteira com flores muito vistosas que permite inúmeros usos. É indicada para o cultivo em jardins a pleno sol, como forração ou bordadura, mas também pode ser usada com facilidade em vasos para composições pendentes. Adapta-se bem a meia sombra.



Características

• Multiplica-se facilmente e de forma muito rápida através de sementes;

• A Capuchinha é rica em vitamina C e nela tudo é comestível, flores, folhas e sementes;

• Suas folhas e flores tem sabor levemente picante;

• A Capuchinha é muito atrativa para as borboletas que adoram colocar seus ovos em suas folhas, dessa forma ela colabora como biocontrole poupando as couves do ataque das lagartas.


COSMO - Bidens formosa e Bidens sulphurea

Com flores pequenas e muito vistosas de tons rosados e amarelo-alaranjados a Cosmo preenche o jardim com uma profusão de cores e alegria. É uma planta muito rústica, de fácil cultivo e que se reproduz o ano todo, através de sementes que germinam de forma espontânea.



Características

• Indicada para o cultivo a pleno sol a Cosmo tolera baixas temperaturas;

• Atinge em média 1m de altura;

• Seu ciclo é muito rápido, por isso é uma planta generosa na produção de matéria orgânica para o jardim.


Existem ainda muitas outras plantas que podem ser companheiras de qualquer jardim e também algumas combinações clássicas de consórcios com plantas que são companheiras umas das outras mas esse é assunto para nosso post da semana que vem.


Acompanhe o Blog da Oficina Verde para mais dicas de cultivo e se gosta do conteúdo partilhe com vossos amigos e contribua para que o jardim de todos floresça cada vez mais.

Mayra Dias Geógrafa e Jardinista, criadora de conteúdo para o blog da Oficina Verde, responsável pelo desenvolvimento e implantação de projectos de ecopaisagismo, hortas e pomares biológicos na Jardim de Ervas.

13 views0 comments