• Mayra Dias

Fotossíntese, luz e vida: ofereça luz adequada para suas plantas e as terá sempre saudáveis.

Sabes que a importância das plantas na nossa vida vai além da questão de aliviar o stress e nos proporcionar hobbies?


As plantas são por natureza os seres mais generosos do planeta, talvez por isso tão amadas por nós, é importantíssimo lembrar que a maior parte da vida na terra depende da fotossíntese realizada pelas plantas, algas e alguns tipos de bactérias.



A luz é fundamental para o desenvolvimento das plantas, é captando a luz solar que as plantas realizam a fotossíntese e sintetizam seu próprio alimento.




É no interior das células vegetais presentes nas folhas das plantas que encontramos estruturas extremamente complexas que absorvem e armazenam a luz solar, os cloroplastos.



Os cloroplastos contêm em si uma série de pigmentos fotossintetizantes responsáveis por manifestar a cor nas plantas, a clorofila é o pigmento que manifesta a cor verde.


Na verdade, há uma cartela de cores no interior dos cloroplastos, além das clorofilas, há também carotenoides tão necessários para nossa nutrição, que concedem os tons amarelos, avermelhados e alaranjados encontrados nos tomates e cenouras, e também as antocianinas que proporcionam os tons azulados e arroxeados, encontrados em mirtilos e beringelas.



Além de manifestar as cores nas plantas e vegetais a grande importância desses pigmentos é a capacidade que possuem de absorver as ondas de luz emitidas ao planeta Terra pelos raios solares e transformar essa energia solar em energia química.


O que ocorre a partir da absorção dessa energia pelos pigmentos no interior das células vegetais é um tipo de descarga elétrica que quebra as moléculas de água (H²O) e de dióxido de carbono (CO²).


Os carbonos (C) e os hidrogênios (H) são utilizados para produção de energia química conhecida como glicose e os oxigênios (O²) são em grande parte liberados para atmosfera através da transpiração das plantas.


Resumindo, as plantas utilizam a luz do sol, o dióxido de carbono (CO²) e a água (H²O) absorvidos do ar e do solo para produzir oxigênio (O²) e energia química em forma de glicose e carboidratos, assim elas conseguem manter equilibradas grande parte das funções de seu metabolismo e fornecem elementos essenciais para suportar a vida na Terra energia química da qual nos alimentamos direta ou indiretamente e oxigênio.


Já havia imaginado o quanto somos dependentes das plantas para habitar o planeta Terra? Todo vosso amor pelas verdinhas está mais do que justificado.



As plantas se desenvolveram ao longo dos tempos de acordo com seus ambientes específicos, criando as melhores estratégias para aproveitarem a luz que necessitam e garantirem a ocorrência da fotossíntese.


Desse modo percebemos que, plantas de sombra ou meia sombra geralmente possuem folhas maiores e mais escuras, consequentemente maior área de captação e concentração de clorofilas.



A quantidade de pigmento de clorofila é responsável pela intensidade da cor verde, por não receberem luz do sol direta por muito tempo possuem maior quantidade de clorofila para que possam absorver o tanto de energia que necessitam para realizar a fotossíntese.

Por sua vez, as plantas que aceitam luz direta e tem as folhas mais largas geralmente possuem coloração de um verde mais claro, o que evidencia menor quantidade de pigmento já que possuem luz em abundância para captar energia.


Saber se a planta pode receber luz diretamente ou se prefere sombra e meia sombra é fundamental para saber como e onde posicionar sua planta e com isso garantir a saúde dela, mas é fato que as plantas sempre precisarão estar expostas a algum tipo de luz para realizar o processo vital da fotossíntese.

Plantas que precisam receber luz direta e são cultivadas em áreas com poucas horas de luz solar ou com luz difusa (meia sombra), não conseguem captar a quantidade de luz suficiente para produzir seu próprio alimento, suas estruturas não estão preparadas para aquele tipo de ambiente e elas crescem com caule e folhas moles e pálidas.


As aromáticas quando cultivadas com pouca exposição a luz solar não produzem óleos essenciais em abundância e acabam por não ser tão aromáticas.


Sem a quantidade de luz ideal as plantas geralmente se esticam em busca da luz do sol e ficam com aspecto estiolado, tornando-se vulneráveis ao ataque de insetos e mais suscetíveis a possíveis doenças. Em contrapartida, as plantas que apreciam o cultivo a sombra ou meia sombra também sofrem com o excesso de exposição à luz solar, apresentando folhas queimadas e ressecamento.


A melhor maneira de recuperar plantas que apresentam sintomas por receber uma luz inadequada é realizar uma poda das folhas prejudicadas e colocá-la em um local onde receba a quantidade de luz adequada para que consiga se desenvolver sem problemas.



Algumas plantas possuem certa capacidade de adaptação, como é o caso, por exemplo, do Singônio (Syngonium podophyllum), ao mudá-lo de ambiente ele apresentará alguns sintomas nas folhas antigas por conta da mudança, mas as folhas novas crescerão adaptadas para as novas condições. Nesse caso faça a poda das folhas prejudicadas e dê à planta o tempo que ela precisa para se adaptar.



Já demos um spoiler sobre o porque a água é tão importante para vossas queridas plantas. Que tal acompanhar nosso blog para saber mais? Semana que vem tem post sobre regas e água para que fique cada dia mais experiente nos cuidados com vossas plantas.

Mayra Dias Geógrafa e Jardinista, criadora de conteúdo para o blog da Oficina Verde, responsável pelo desenvolvimento e implantação de projectos de ecopaisagismo, hortas e pomares biológicos na Jardim de Ervas



26 views0 comments