• Mayra Dias

Como escolher o melhor vaso para vossas plantas.


Escolher um vaso nem sempre é tarefa fácil é preciso considerar uma série de fatores que muitas vezes nem imaginamos, tamanho, peso, material, estética, design, cor e relacionar tudo isso com o ambiente onde esse vaso será colocado.


Mas o essencial é começar pensando no espaço que a planta precisa para se desenvolver plenamente, ou no tamanho máximo que desejas que a planta que cultivas alcance, pois, os vasos podem ser ferramentas no jardim para controlar o tamanho das plantas.


Árvores que ficam enormes quando plantadas no chão, podem ser cultivadas por centenas de anos em vasos extremamente pequenos, os Bonsais são belos exemplos de como isso pode ser feito.



TAMANHOS E PROFUNDIDADES DOS VASOS

- O tamanho de um vaso deve contemplar o tamanho da espécie quando ela estiver adulta caso deseje que a planta alcance seu tamanho máximo, lembrando que as plantas precisam de espaço para que as raízes cresçam. Um vaso muito pequeno para uma planta que cresce bastante provocará com o tempo o enovelamento das raízes e se não houver manutenção frequente a planta terá a saúde prejudicada;



- Caso não queira que a espécie cultivada atinja seu tamanho máximo por falta de espaço, escolha o vaso de acordo com o limite de crescimento que desejas oferecer para a espécie que quer cultivar, lembre-se que quanto mais limitar o desenvolvimento da planta mais manutenção terá que oferecer para que ela se mantenha sempre saudável;


- Caso vossos vasos e jardineiras tenham de 10 a 20 cm de profundidade escolha cultivar espécies com raízes superficiais e pouco profundas, por exemplo, hortaliças, ervas e temperos de porte baixo. Por exemplo: Salsa-lisa, Cebolinha, Tomilho, Hortaliças folhosas como alfaces e Rúcula, Hortelã, suculentas e forrações ornamentais;



- Para vasos com 20 a 40 cm de profundidade podes escolher legumes, tubérculos e espécies que formam pequenas touceiras e arbustos baixos, por exemplo: Manjericão, Alecrim, Sálvia, pimentas, Funcho, Berinjela, Lavanda, Cidreira, Capim-limão, legumes como Tomates, Brócolis e raízes como Beterraba e Cenoura;


- Em vasos a partir de 40 cm de profundidade podes optar pelo plantio de espécies maiores como árvores de pequeno porte, plantas arbustivas um pouco mais altas e trepadeiras, por exemplo: frutíferas como o Limão-siciliano, a Jabuticaba, a Lima-da-pérsia, as laranjas, a Romã, a Pitanga, pequenas palmeiras como a Areca-bambu e Louro.



MATERIAIS E DESIGN DOS VASOS


Atualmente é possível encontrar vasos de inúmeros modelos e materiais, alguns são verdadeiras obras de arte que auxiliam na decoração dos ambientes e na composição dos espaços.


VASOS DE CERÂMICA


Os vasos de cerâmica são muito bons para o cultivo das plantas em geral. São lindos e podem ser verdadeiras obras de arte. Os grandes são pesados e estáveis por isso também indicados para plantas de grande porte, pois em caso de ventos fortes o peso impedirá que a planta tombe junto com o vaso.



A cerâmica é um material poroso, por isso esses vasos são bons para evitar encharcamentos, porém preste mais atenção às regas, pois os vasos tendem a absorver bastante água também.


A capacidade térmica de manter o solo em uma temperatura estável independente da temperatura climática também é uma qualidade interessante desse tipo de material, pois preserva a saúde e o desenvolvimento das raízes das plantas.



Para manter o aspecto de novo o ideal é impermeabilizar esse tipo de vaso por dentro e por fora antes do plantio, porém se aprecias uma estética com envelhecida e musguenta não precisa impermeabilizar pois com o passar do tempo vossos vasos de cerâmica absorvem a água das regas e costumam ficar manchados e criar aquele limo ou aquele musgo muito charmoso.


VASOS DE PLÁSTICO


São vasos muito leves e proporcionam muita mobilidade.


Como o plástico não é um material poroso, em geral esses vasos retêm a transpiração e ajudam a manter a umidade das regas por mais tempo. Porém os plásticos expostos ao sol por muito tempo tendem a absorver o calor e elevar a temperatura da terra no vaso, também costumam ressecar e quebrar rapidamente.



São uma ótima opção para marantas e plantas tropicais de interiores já que neste caso não ficam expostos ao sol. Caso opte pelo vaso de plástico invista naqueles confeccionados com uma qualidade de plástico resistente.


VASOS TÊXTEIS


São vasos feitos de materiais têxteis, resistentes às intempéries. Em geral são revestidos com manta geotêxtil o que dispensa no plantio o uso do material de drenagem, como argila expandida, areia ou manta de drenagem.



Seu material permite a livre passagem da água retendo os materiais sólidos no interior do vaso. São leves, flexíveis e portáteis. Ideais para jardins em terraços e sacadas onde sempre há uma preocupação com o excesso de peso dos vasos.


A flexibilidade e profundidade desses vasos são perfeitas para o cultivo de raízes e tubérculos comestíveis como batatas que podem ter a colheita facilitada por conta das qualidades do material desses vasos, cenouras ou plantas que apreciam solo drenado também se desenvolvem muito bem nesse tipo de vaso;


VASOS DE CONCRETO


Também são pesados e estáveis para o plantio de plantas grandes e altas. Costumam manter a temperatura do solo sempre estável e evitam encharcamentos pela baixa capacidade de retenção da água. Também devem ser impermeabilizados internamente antes do plantio. Costumam ter baixo custo e são mais indicados para ambientes externos;


VASOS DE FIBRA DE COCO


São vasos que drenam muito bem a água e acabam por não segurar a humidade em seu interior. Normalmente é necessário dar mais atenção às regas quando optar por esse tipo de vaso.


Ideais para plantas como filodendros, epífitas, e até alguns tipos de orquídeas pois permitem que as raízes respirem e se entrelacem em suas fibras. Contudo esse mesmo aspecto pode dificultar um novo envasamento;


VASOS ALTERNATIVOS


Aqui a lista e as possibilidades são imensas. Qualquer objeto ou utensílio pode ser um vaso desde que tenha um furo para a drenagem da água. Reutilize panelas, caixotes, potes plásticos, regadores, baldes, latas, sacos de juta, botas entre outros. Os limites são vossas preferências estéticas e criatividade;


VASOS DE METAL


Também costumam ser leves e muito decorativos. Retêm bem a água, mas costumam enferrujar, dessa forma o ideal é forrar esse tipo de vaso com algum material plástico bem vedado antes do plantio. O metal esquenta muito quando exposto a luz sol, melhor ser utilizado para plantas de interior.


VASOS AUTO-IRRIGÁVEIS


Estes funcionam bem para os amantes de jardinagem que não possuem muito tempo, ou passam longos períodos viajando, são vasos com reservatórios de água que as plantas acessam através do sistema de capilaridade, o que garante que as plantas estejam sempre hidratadas e sem excessos. Existem em vários formatos, materiais e modelos.


A lista de possibilidades que abrange a mais variada gama de preços e estilos é extensa, de vasos de cerâmica vietnamita vitrificada à vasos de madeira, vasos de pedra e vasos de fibra, vasos de resina ou vasos de vidro, todos possuem vantagens e desvantagens.



Escolha o tipo que melhor atende vosso gosto pessoal sem que se esqueças de atender as necessidades do espaço que possui e das plantas que cultivas. Que tal acompanhar o blog da oficina verde para mais dicas de cultivo? Gostas do conteúdo? Curta e partilha com vossos amigos amantes das plantas.


Mayra Dias Geógrafa e Jardinista, criadora de conteúdo para o blog da Oficina Verde, responsável pelo desenvolvimento e implantação de projectos de ecopaisagismo, hortas e pomares biológicos na Jardim de Ervas.

24 views0 comments